CPT - Centro de Produções Técnicas

As exportações do agronegócio mineiro atingiram US$ 6,7 bilhões, no período de janeiro a outubro deste ano, registrando aumento de 7,5% em comparação ao acumulado no mesmo período do ano passado, que foi de US$ 6,2 bilhões. O volume exportado até o momento foi de 5,9 milhões de toneladas. Os números das vendas internacionais foram analisados pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), com base nas informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). De acordo com o Superintendente de Política e Economia Agrícola da Seapa, João Ricardo Albanez, houve crescimento na participação do agronegócio na pauta de exportações totais do Estado em relação ao mesmo período de 2013, avançando de 22,3% para 26,8% neste período. A expectativa é de que as exportações neste ano superem o valor comercializado em 2013. “Enquanto, no ano passado, o volume de negócios ficou em US$ 7,3 bilhões, a expectativa para 2014 é de que as exportações do setor fechem o ano com volume de negócios em torno de US$ 8 bilhões”, afirma. O bom desempenho e a expectativa de crescimento anual da balança comercial mineira se devem à recuperação da cotação do café no mercado. O café ainda lidera a pauta das exportações do agronegócio do estado, representando 49,1% do volume negociado. “O preço médio da saca, nos dez meses deste ano, esteve em US$ 188,65. No mesmo período do ano passado, a cotação média da saca estava cerca de 28% menor”, calcula o Superintendente da Seapa. As vendas externas de carne bovina e suína também foram positivas, com crescimento de 6% e 10,8%, respectivamente. Segundo Albanez, os cenários nacional e internacional para a carne bovina é positivo e também pode ser ilustrado pelo aquecimento das cotações. “Já as exportações da carne suína foram impulsionadas pela expansão das compras russas, que somaram um diferencial de US$ 10,5 milhões entre janeiro a outubro deste ano em relação ao ano passado”. Os produtos lácteos também se destacaram na balança comercial, com crescimento de 942% no volume embarcado e 1.460% nos valores registrados. “Apesar de o volume ter uma representação pequena em comparação com a produção de Minas (considerado a principal bacia leiteira do país), é um registro significativo para o setor, resultado do incremento das exportações para a Venezuela”, avalia Albanez.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here