CPT - Centro de Produções Técnicas

A exportação de produtos lácteos "made in Bolívia", disparou nos últimos sete anos, em 252 por cento em termos de valor e de 169 por cento em volume, de acordo com dados fornecidos pelo Instituto Boliviano de Comércio Exterior (IBCE). Nos primeiros meses deste ano, as vendas excederam no ano passado. As vendas externas estão concentrados principalmente no Peru, o país Inca reivindicou 71 por cento do total das exportações do país. O segundo destino mais importante foi a Venezuela, com 22 por cento das vendas. Colômbia, ficou em terceiro lugar com 6 por cento e no Equador, com uma quota de 2%, disse o IBCE. Dentro da categoria de lácteos queda: as diferentes variedades de leite (líquido, em pó, condensado, evaporado, etc), manteiga e queijo. Crescimento será maior em 2014. Para o ano fiscal de 2006, o setor exportou cerca de 10,3 milhões, principalmente Peru e na América do mínimo. No ano passado, esse número aumentou para 36,4 milhões. Mas de acordo com os números oficiais, este ano será muito mais auspicioso para as exportações de lácteos nacionais. Nos primeiros meses, o setor totalizou mais de 2013, atingindo as exportações de fatura no valor de 36.600 mil dólares. Desse montante, 25,8 milhões dólares correspondem ao mercado peruano, 8.1-2 milhões para a Venezuela e Colômbia. Segundo a Associação Nacional de Indústrias de Leite (Andil) Apenas a indústria de exportação de leite no país é PIL Andina SA e como é a exportação de leite em pó. A situação no que diz respeito às importações é o ideal. De acordo com o INE, tem sido sempre menor do que as exportações, e é principalmente da Argentina, Chile e Uruguai, sob a forma de leite em pó, evaporado, queijos. No entanto, a entrada para o mercado interno, afeta a venda de alguns produtos feitos no país. Anualmente, Bolívia importado US$ 1,4 milhão. "Isso afeta negativamente, como os preços dos produtos em países vizinhos são mais baixos, isso é prejudicial à indústria nacional", disse Edwin Valverde, CEO Andil. Prevenir aumento no consumo de leite. Segundo dados do leite agência estatal Pro, o consumo de leite é agora 55,3 litros per capita por ano. Para este ano, a organização do Estado espera que o consumo para chegar a 60 litros per capita. O crescimento é estimado entre 8,5 e 10 por cento até o final de 2014. PIL absorve 50% da produção de leite. gestão Durante 2013, a produção de leite foi de 529,9 milhões de litros. Segundo dados oficiais, toda essa produção, mais da metade é coletada por principal indústria do país: PIL Andina SA, seguido por indústrias associadas Andil e terceiro estado LACTEOSBOL. As vendas internamente, também são dominadas por PIL Andina. Dos 2.299.000 bolivianos, dos produtos vendidos no país, 1.819.000 pertencem a esta empresa eo restante é dividido entre outras indústrias. Líder Santa Cruz produz 282 milhões de litros de leite por ano Produção. departamento de Santa Cruz, até 2013, a produção de leite continua a liderar o país. De acordo com a Associação Nacional das Indústrias de Leite (Andil), a região oriental produz anualmente 282 milhões de litros de alimentos. Em segundo lugar, Cochabamba está localizado, a região do vale, tem uma contribuição a nível nacional 141.764.000 litros. Hato. Neste contexto, o departamento de Santa Cruz, de acordo com a Federação de produtores de leite, tem um rebanho leiteiro de 300.000 cabeças. Estudo leva a produção de iogurte em casa Mercado. acordo com uma pesquisa de mercado realizada pela Autoridade de Controlo e Social de Empresas (AEMP), PIL Andina ocupa o primeiro lugar na produção de iogurte com cerca de 60%. De acordo com dados da indústria, fornecidos pela Andil, a produção anual do produto chega a 50 milhões de litros por ano. 29% da produção de acordo com o AEMP correspondem a Delizia. A outra de 6% de produção, tem Soalpro, SA Delicruz 3%, 1% Ilpaz, 1% Pil Tarija e o resto das empresas não representam ainda 1% de produção. A produção de queijo . No país, a produção deste produto atinge 1,86 milhões de quilos por ano. Investimento Governo quer um Estado fábrica de leite Projeto. Construindo um leite em pó estatal no leste da Bolívia é um dos complexos de produção de 28 alimentos que requerem um investimento de 1.000 e 1.200 milhões de dólares que o governo pretende utilizar para a industrialização produtiva no país. De acordo com o Ministério da Produção, os recursos econômicos serão investidos pelo Fundo para Produtivo Revolução Industrial (FINPRO) e vêm da nacionalização dos hidrocarbonetos. Produção. Segundo dados do Pro Bolívia, desde o lançamento do leite de baixo custo chamado de "Elias" a produção nacional subiu para 309 toneladas por mês no país. Em junho, o Governo eo leite Planta Industrializadora (PIL-Andina) assinaram um acordo pelo qual o preço do leite entre 33 e 39 por cento tem cinco novos produtos.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here