CPT - Centro de Produções Técnicas

Ocupando a 19ª posição no ranking nacional de produção de leite, o setor produtivo de MS e entidades ligadas à área debateram soluções para alavancar a produção de leite no Estado, durante a audiência pública “Desafios da Atividade Leiteira em Mato Grosso do Sul”.

O evento foi realizado nesta segunda-feira (11) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), por proposição do deputado Capitão Contar (PSL), vice-presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária e Política Rural, Agrária e Pesqueira, que atendeu o pedido da ABRALEITE e do SRCG.

O diretor comercial e de eventos da Associação Brasileira dos Produtores de Leite-ABRALEITE, Ronan Salgueiro, que representou a Associação na audiência pública, destacou a relevância da realização de uma audiência pública sobre o tema. “Hoje é um marco histórico da cadeia de lácteos em MS. Essa audiência é muito importante. Nós apoiamos essa ferramenta, porque é uma reunião organizada e transparente para comunicação entre vários segmentos”, destacou o diretor Ronan Salgueiro.

Ele também enalteceu o apoio contínuo da Casa de Leis na discussão sobre tema e relembrou a participação do Legislativo nas atividades da Semana Sul-Mato-Grossense do Leite e a criação da Frente Parlamentar do Leite, proposta pelo deputado Renato Câmara (MDB). “Realmente precisamos de uma ação efetiva deste Governo. Somos contrários a qualquer medida que aumente os custos dos produtores”, relatou Ronan Salgueiro.

Do mesmo modo que a pecuária de corte possui o precoce MS, o leite merece uma política de valorização e de reconhecimento pela qualidade.

Com esta afirmação o diretor comercial e de eventos da ABRALEITE, Ronan Salgueiro, abriu sua fala em defesa dos produtores de leite, na audiência pública.
“Não tivemos o sucesso esperado nos pleitos apresentados até então. Foram e entregues pelo menos três documentos (PDI, Workshop e SOS Leite), sem retorno algum. Por isso, fazemos voto para que essa audiência seja um marco, para voltarmos a colocar o Mato Grosso do Sul no cenário nacional da pecuária leiteria”, afirmou Ronan Salgueiro.

“Somos um Estado referência em produção e produtividade, mundialmente conhecidos na qualidade da carne, mas quando o assunto é setor leiteiro ainda sobram dificuldades”, refletiu o parlamentar autor do requerimento da audiência pública.

O deputado defendeu que por meio do debate a situação pode ser revertida. “Podemos avançar ouvindo e dando estímulos a essa cadeia. É um setor consolidado que contribui para nossa economia com emprego e renda. Precisamos ajudar o produtor, principalmente o de pequeno porte. A ideia é escutar os segmentos e propor intervenções. Temos canal de comunicação com o Executivo e as demandas levantadas serão trabalhadas”, explicou Contar.

Além do diretor Ronan, estiveram presentes à audiência pública os membros do Conselho de Representantes Estaduais da ABRALEITE : Emeline Leonardi , Lineu Pascaloto, Lucilha Almeida , Monaly Monteiro, Martinho Oliveira, Altamiro Barbosa, Juliano Queiroz e Wilson Ig.

Desafios – De acordo com os participantes da audiência, um dos principais obstáculos que a cadeia produtiva enfrenta para desenvolver o setor é a tributação. “Temos uma indústria que paga pouco, pois está sem competitividade. Pagamos o ICMS (Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual, Intermunicipal e de Comunicação) mais caro quando comparamos Mato Grosso do Sul aos estados vizinhos”, afirmou Wilson Igi, diretor do Sindicato Rural de Campo Grande, membro do Conselho de Representantes Estaduais da ABRALEITE e representante da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul).

Wilson Igi afirmou que o setor leiteiro estadual está vivendo uma crise. “Desde 2015, houve uma queda grande na produção de leite em MS”. Segundo o representante da Famasul, naquele ano, o país entrou em crise, o consumo do produto diminuiu e a produção se adequou à nova realidade do mercado, porém a queda em MS foi significativa. “No Brasil, a produção caiu 4% contra mais de 41% em MS. Hoje, a produção só é viável a curto prazo. A médio e longo prazo, os produtores estão desistindo”, disse.

Assista a fala do diretor da ABRALEITE no vídeo abaixo:

 

Assista toda a audiência pública:

Ao vivo: Audiência Pública – Desafios da Atividade Leiteira em MS​

Assista agora à Audiência Pública – Ao vivo: Desafios da Atividade Leiteira em MS. Deputados, produtores rurais, representantes da indústria, do Governo do Estado, além de especialistas na área leiteira debatem soluções para alavancar o mercado no Estado.#AssembleiaMS #ALEMS #MS #11Legislatura #ALEMSDeTodos #NovosRumos #AudienciaPublica #Leite #Agricultura #Pecuaria

Posted by Assembleia Legislativa MS on Monday, November 11, 2019

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here