CPT - Centro de Produções Técnicas

O governador Renan Filho publicou, nesta segunda-feira (01), no Diário Oficial do Estado de Alagoas, o Decreto nº 40.745 que altera a regulamentação do ICMS para a indústria do leite e seus derivados. Entre os produtos listados no decreto, estão o leite pasteurizado e leite UHT, iogurte, bebida láctea, coalhada, leite fermentado, achocolatado, bebidas lácteas, manteiga comum e de garrafa, queijos ricota, cremoso, mussarela, prato, coalho e queijo manteiga, além do doce de leite. De acordo com Arthur Vasconcelos, presidente do Sindicato das Indústrias de Laticínio e Produtos Derivados do Estado de Alagoas (Sileal), a iniciativa faz com que o produto alagoano seja atrativo no mercado e ganhe competitividade em relação à produção externa. “Teremos uma reação muito rápida com o decreto, pois as indústrias vão comprar mais leite produzido no Estado, já que a produção foi incentivada e sua comercialização também através da desoneração do ICMS”, explicou o presidente do Sileal. Como acrescenta Francisco Suruagy, superintendente da Receita Estadual da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz-AL), o Decreto atende a pleito antigo dos produtores alagoanos com o intuito de, mais uma vez, valorizar o mercado interno, que “possui mais de 4 mil produtores de leite em todo o Estado, com exceção, apenas, dos municípios de Roteiro e Barra de São Miguel, que não possuem produção atualmente”, ressaltou.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here