CPT - Centro de Produções Técnicas

Raça bovina com aptidão leiteira, mas que não perde na produção de carne, o guzolando está ganhando destaque no cenário brasileiro. A linhagem é resultado do cruzamento entre o guzerá e o holandês. O guzolando se adapta muito bem às condições tropicais do país e, de acordo com a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), os animais da raça são longevos, férteis e precoces. Eles apresentam porte médio e pelagem variada. A Associação dos Criadores do Guzerá do Brasil (ACGB) explica que as fêmeas produzem boa quantidade de leite, tem forma tradicional de cunha, úbere bem inserido e desenvolvido, garantindo uma longevidade produtiva. Já os machos são musculosos, com altos índices de ganho de peso. Quando o assunto é leite, a raça não deixa a desejar. Se criada exclusivamente no pasto, pode produzir mais de 10 kg por dia e, em confinamento, essa quantidade chega a 40 kg, aponta a ABCZ. As fêmeas conseguem produzir por 14 anos ou mais. Além disso, o produto é considerado de quualidade, com alto percentual de sólidos totais e kappa caseína. Entre as vantagens do guzolando estão a valorização dos bezerros, menor custo em função da rusticidade, pequeno intervalo de partos já a partir do primeiro ano e maior resistência a parasitas, herança do gado guzerá. <b>ExpoZebu</b> Neste ano, a raça participará pela primeira vez da tradicional ExpoZebu, exposição de zebuínos realizada pela ABCZ em Uberaba (MG), que tem 82 anos de história. O guzolando competirá no concurso leiteira da exposição. As inscrições estarão abertas a partir do dia 1º de março no site da ABCZ.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here