CPT - Centro de Produções Técnicas

Os preços elevados dos derivados de leite inibiram o consumo e já pressionam as cotações do leite pagas ao pecuarista, conforme levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), vinculado à Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP). Conforme o levantamento, o preço médio do leite ao produtor recuou 0,73% em junho no Brasil, a R$ 1,0128 o litro. Na avaliação do Cepea, a queda dos preços do leite reflete a menor demanda por derivados, que estão em “patamares elevados”, e a produção praticamente estável de leite em maio — mês de referência para os pagamentos do leite ao pecuarista em junho —, num contexto em que houve atraso no clima frio, ‘ampliando’ o período de safra. Em maio, o Índice de Captação de Leite (Icap-L) apurado pelo Cepea teve leve queda de 0,05%. Em relatório, o Cepea destaca que a cotação do leite em Minas Gerais – principal bacia leiteira do país – e Goiás tiveram desvalorizações de 2,03% e 3,53%, respectivamente, entre os Estados acompanhados pelo centro de estudos. Em contrapartida, Bahia, Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul registraram alta no preço. Para os próximos meses, a expectativa é de aumento na produção de leite na região Sul, devido ao início da safra da região, e “redução significativa” nas regiões central e Sudeste do país. Nesse contexto, representantes de cooperativas e laticínios consultados pelo Cepea estimam que o preço do leite ficará estável em junho.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here