CPT - Centro de Produções Técnicas

A chuva em boa quantidade ajudou a recuperar as pastagens em Sergipe. Com alimento farto, as vacas estão produzindo mais leite. O inverno já superou as expectativas de José Roberto Oliveira. Ele mostra, orgulhoso, o resultado da chuva no pasto. Os 18 hectares da propriedade em Nossa Senhora da Glória, sertão de Sergipe, estão verdinhos e as 25 cabeças de gado leiteiro têm comida à vontade. De acordo com o Centro de Meteorologia de Sergipe, o período chuvoso no sertão do estado começou em abril e deve terminar em agosto. Nos meses de junho e julho, os índices ficaram cerca de 10 milímetros acima da média histórica, o suficiente para mudar o cenário. Para os produtores de leite, a maior diferença está na economia. Em outra propriedade, por exemplo, o uso de concentrado para complementar a alimentação do rebanho diminuiu 50%, mas a produtividade não mudou. Agora, Fábio Batista de Sousa está conseguindo alimentar os animais quase que exclusivamente com pasto. Cada uma das 55 vacas que estão em lactação produz uma média de 20 litros de leite por dia e o produtor comemora os gastos reduzidos com alimentação. O mercado do leite é discutido em uma feira em Nossa Senhora da Glória. Ao todo, 400 animais participam da 33ª Exposição Feira de Animais da Região Norte do Estado, entre caprinos e bovinos. Durante a exposição também acontece a Feira do Leite e uma das grandes atrações é o concurso leiteiro das raças girolando e holandesa. Dênio Leite, veterinário e um dos coordenadores da feira, fala sobre o concurso, a produção e os cuidados com os animais. Confira a entrevista no vídeo com a reportagem completa.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here