CPT - Centro de Produções Técnicas

Quais as perspectivas para o setor de produção de leite no Brasil em 2020? O consumo vai diminuir? O país vai se tornar um grande exportador? Qual será o perfil dos produtores daqui a 13 anos? E as principais ameaças? Essas e outras perguntas fazem parte do cotidiano da cadeia produtiva do leite, um dos setores mais instáveis e imprevisíveis da economia. Pensando no cenário leiteiro para o futuro a empresa paulista Agripoint em parceria com o Instituto Ouro Verde, Embrapa Gado de Leite, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e Confederação Brasileira das Cooperativas de Laticínios (CBCL), desenvolveram a pesquisa Cenários para o Leite em 2020, patrocinada pelo Sebrae. O trabalho, feito de forma detalhada, é pioneiro em terras nacionais. Especialistas, entre produtores e técnicos em estatísticas de diversas regiões do país, participaram de duas rodadas de um questionário sobre aspectos da produção, mercado e consumo do leite no Brasil. O resultado final consiste na convergência das opiniões dos participantes, formando uma previsão sobre o setor para os próximos anos. Exportação O que mais se destaca nos cenários montados pela pesquisa, com base em diferentes variáveis, é a posição do Brasil como país exportador de leite. Segundo a pesquisa o país deve crescer como potência exportadora nos próximos anos, o que trará inúmeros benefícios para o setor de laticínios e a economia nacional. O aumento das exportações deve ocorrer, principalmente, por dois fatores: pela melhoria da qualidade do leite, que se tornará mais competitivo internacionalmente, e pelo fato de a produção interna crescer em um ritmo mais acelerado do que os índices de consumo dos brasileiros. Tendências A melhoria nas questões ambientais, com uma legislação mais rígida sobre o controle de dejetos e a poluição de mananciais, por exemplo, aumenta o potencial do Brasil para a utilização dos biocombustíveis na produção. O aperfeiçoamento da relação entre produtores e indústrias é uma forte tendência para o crescimento das cooperativas e da produção familiar e a profissionalização do setor, que, hoje, é uma das áreas que mais geram empregos no Brasil . Ameaças Além de detectar os pontos positivos e as possíveis linhas de crescimento do setor no mercado interno e externo, o estudo também prevê possíveis ameaças para a produção de leite nacional. Uma delas é a falta de investimentos das empresas privadas e também mais apoio do Estado ao mercado de leite e derivados. Outra sombra que insiste em perseguir o mercado leiteiro é a crescente produção e penetração de produtos concorrentes no mercado nacional, como os derivados da soja e os sucos industrializados. Aliado ao sucesso dos concorrentes, está o baixo consumo de leite por parte da população brasileira. Embora esteja previsto um aumento em um dos cenários para 2020, o consumo no Brasil sempre esteve abaixo do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Hoje, cada brasileiro consome em média 140 kg por ano, enquanto a recomendação da OMS fica na casa dos 200 kg, índice já atingido por países da América do Sul, como a Argentina.   Fonte: Sebrae Nacional adaptado pela Equipe Milknet 06/01/2009

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here