CPT - Centro de Produções Técnicas

E o Brasil está “contente com esta abertura da Rússia”, afirma Carlos Humberto Mendes de Carvalho, presidente do Sindicato de Indústrias de Laticínios e de Produtos Derivados do estado de São Paulo (Sindileite). A iniciativa russa de liberar importações do Brasil é “muito promissora”, segundo o funcionário. O Brasil está começando novamente a exportar produtos lácteos para a Rússia, e agora o Ministério da Agricultura nacional lançou o processo de cadastramento que permite a certas empresas ter autorização de exportar para a Rússia. O processo de cadastramento é rigoroso, porque as empresas têm que cumprir as exigências das autoridades veterinárias e fitossanitárias russas. Anteriormente, a Rússia foi grande importadora da manteiga brasileira, afirma o presidente do Sindileite. E dentro do Mercosul, o Brasil é um dos três grandes exportadores de laticínios, com a Argentina e o Uruguai. Porém, “a partir da crise, passamos a ser mais importadores”, diz Carlos Humberto Mendes de Carvalho. O país voltou a exportar desde outubro passado, com volumes especialmente maiores de leite em pó, destinado para a Venezuela. Quanto às relações com a Europa, aqui por agora não pode haver tanto volume de exportação brasileira, afirma o presidente do Sindileite. A União Europeia, os EUA e uma grande parte da Oceânia são exportadores eles próprios. Por isso, o mercado russo é uma grande oportunidade. <embed src="http://www.milknet.com.br/images/noticias/24866/ENTREVISTA_CARLOS_HUMBERTO_MENDES_DE_CARVALHO.mp3" width="80%" height="100px"></embed>

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here