CPT - Centro de Produções Técnicas

por Dra. Licinia de Campos, nutricionista Adultos A maturidade pode ser um fase da vida bem atribulada com o trabalho e as responsabilidades de sustentar a família. Manejar a vida atribulada significa obter o equilíbrio certo. Da mesma forma, é importante neste momento equilibrar a alimentação e os alimentos ingeridos. Uma dieta saudável e estilo de vida ativo tem muitos benefícios na vida atual e posterior como: • O aumento de níveis energéticos; • Pode ajudar a obter peso saudável; • Pode ajudar a reduzir o risco de diabetes e doenças cardíacas; • Pode ajudar a reduzir o risco de osteoporose. Conduzir-se a um estilo de vida saudável é também a melhor forma de ensinar e encorajar as crianças a adotarem bons hábitos por toda a vida. Na verdade, um estudo recente demonstrou que pais que consomem mais leite e derivados, têm crianças que também os consome mais. Assim em se tratando de saúde dos ossos, os pais necessitam estabelecer bons exemplos em como e quanto consomem. Um plano saudável de alimentação inclui variedade de alimentos dos grupos alimentares da pirâmide. O leite e derivados é um dos grupos alimentares essenciais. Eles contêm cálcio e mais de 9 outros nutrientes essenciais. Três porções de leite e derivados são recomendadas a cada dia para manutenção da boa saúde. Uma porção equivale a: • 1 xícara de leite (250 ml); • 1 pote de iogurte (200 g); • 40 g de queijo (2 fatias). Leite e laticínios têm participação importante em dietas saudáveis na vida do dia-a-dia e no manejo dos estados patológicos tais como diabetes, pressão alta e doenças cardíacas, sobrepeso e obesidade, e principalmente na osteoporose. Terceira Idade Quando se envelhece, o desejo é se manter intacto e saudável. Tomar cuidado com os ossos é crítico neste período de vida. A osteoporose afeta 1 em cada 2 mulheres e 1 em cada 3 homens acima da idade de 60 anos. Após a menopausa, as mulheres começam a perder massa óssea rapidamente. Por volta da idade de 65 anos, tanto homens quanto mulheres perdem massa óssea na mesma proporção. Há algumas atitudes que podem ser tomadas para ajudar a minimizar o problema: • Consumir bastante alimentos ricos em cálcio; • Assegurar exposição segura ao sol o suficiente para adequação de vitamina D; • Exercitar-se regularmente. Leite e derivados são fontes prontamente disponíveis de cálcio. Três a quatro porções a cada dia fornecem a ingestão dietética recomendada para cálcio. Para aqueles que estão preocupados com excesso de peso ou colesterol elevado, há uma ampla gama de produtos de baixo teor gorduroso no mercado para facilitar a escolha. Quarta Idade Só há pouco tempo surgiu o termo pelo rápido crescimento da população acima de 85 anos. O bem-estar nutricional é componente integral do envelhecimento com sucesso. Porém, em certos subgrupos de adultos mais idosos foram notadas deficiências sub-clínicas em energia, cálcio, vitamina D, vitamina B6, folato e zinco. O consumo de baixo valor energético – ou anorexia do envelhecimento – limita a habilidade dos adultos maduros em cumprirem suas necessidades para nutrientes mais essenciais. O apetite reduzido também aumenta o risco de má nutrição protéico-energética e suas consequências adversas à saúde. O reconhecimento de necessidades nutricionais particulares para adultos maduros levou, pela primeira vez, à separação das recomendações para nutrientes específicos para adultos entre 51 a 70 anos e para aqueles acima de 70 anos. Estas novas recomendações – chamadas de DRIs ou Ingestão Dietética Referenciada – para cálcio e nutrientes relacionados e para vitaminas do complexo B, atualizando as normativas de 1989, as RDAs (Ingestão Dietética Recomendada) para estes nutrientes. Vitamina D, folato e vitamina B12 são preocupações específicas para adultos mais idosos. A nova recomendação para vitamina D (400 IU/ dia) para adultos de idade entre 51 a 70 anos é duas vezes maior que o nível recomendado para adultos de 51 anos e acima na RDA de 1989. Para adultos acima de 70 anos, 600 IU de vitamina D/dia é recomendada (obs: 3 X o nível previamente recomendado para adultos entre 51 anos e acima). O aumento da ingestão em vitamina D aos níveis recomendados demonstrou incrementar a saúde óssea em adultos maduros. Para adultos de 51 anos e acima, recomenda-se o consumo de 400 mg de folato/ dia – o que reflete um aumento do dobro das recomendações de 1989 de 200 mg/ dia para homens e 180 mg/ dia para mulheres. Cerca de 10 a 30% dos adultos mais idosos passam por decréscimo em sua habilidade de absorção adequada de vitamina B12 dos alimentos. Por esta razão, as novas DRIs recomendam que adultos acima de 50 consumam vitamina B12 sintetizada de alimentos fortificados ou suplementos vitamínicos para cumprir a ingestão recomendada de 2,4 mg de vitamina B12/ dia. Aos adultos acima de 51 recomenda-se o consumo de 1,200 mg de cálcio/ dia – nível de consumo de 400 mg/ dia maior que a RDA de 1989. Infelizmente, a grande maioria dos adultos maduros consomem níveis de cálcio bem abaixo das quantidades recomendadas. Numerosos estudos indicam que o aumento do consumo em cálcio pelos adultos mais idosos, tanto puro como em associação com a vitamina D, reduz a perda de massa óssea relacionada à idade e o risco de fraturas por osteoporose. A ênfase em alimentos densos nutricionalmente pode ajudar significativamente os adultos maduros a cumprirem suas necessidades nutricionais, especialmente quando a ingestão calórica é baixa. Leite e outros derivados são alimentos nutricionalmente densos, fornecendo níveis significativos de cálcio, fósforo, proteínas e, se fortificados, vitamina D – nutrientes em falta com frequência na dieta dos adultos maduros. É importante para os indivíduos mais idosos (assim como para os mais jovens) a adoção de um estilo de vida saudável, incluindo dieta balanceada, nutritiva e atividade física regular, moderada. Fontes bibliográficas • National Dairy Council – “Special Dietary Needs of Mature Americans”; • Dairy Australia – Lifestyles and Stages; • Wahlqvist, Mark – “Topical issues in the relationship between consumption of dairy products and human nutrition”. Department of Medicine, Monash University, Melbourne. • Kart, Cary et all. “Human aging and chronic disease”. Ed Jones and Bartlett. 1rst Ed, 1992. . Fonte: Informativo Leite & Saúde – Láctea Brasil,.  adaptado pela Equipe Milknet.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here