CPT - Centro de Produções Técnicas

A Cooperativa Central Aurora Alimentos, de Chapecó, obteve em 2014 o maior faturamento e o melhor resultado líquido de seus 45 anos de história: com crescimento de 18%, a receita operacional bruta chegou a 6,7 bilhões de reais, enquanto as sobras inflaram 38% e atingiram 417,9 milhões de reais. Com uma margem líquida de 6,83%, a cooperativa respondeu por um dos melhores desempenhos do mercado brasileiro de proteína animal. A receita total foi 80% dela obtida no mercado doméstico e 20% no mercado internacional. Os resultados do exercício de 2014 foram apresentados à assembleia geral pelos dirigentes Mário Lanznaster (presidente), Neivor Canton (vice-presidente), Marcos Antonio Zordan (diretor de agropecuária) e Leomar Somensi (comercial). Na mesma assembleia, essa diretoria foi reeleita para novo mandato de quatro anos. O maior crescimento ocorreu com as vendas no mercado externo que cresceram 30% e atingiram um faturamento líquido de 1,3 bilhão de reais. Os principais itens exportados foram carnes de aves (988 milhões de reais) e carnes suínas (390 milhões de reais). No mercado interno as vendas líquidas de devolução aumentaram 8,6% em volume e 15,9% em faturamento, chegando a 5,4 bilhões de reais. As carnes suínas contribuíram com 2,8 bilhões de reais nas vendas internas, as carnes de aves com 1,3 bilhão de reais e os derivados lácteos com 729 milhões de reais; os derivados de massas com 67 milhões de reais, rações suínas com 62 milhões de reais e carnes bovinas com 60 milhões de reais. Também foram comercializados no mercado nacional reprodutores, pintos, ovos e matrizes, derivados vegetais e outras mercadorias. <b>SUÍNOS</b> Em 2014 a Aurora manteve-se como uma das maiores empresas em processamento de suínos do Brasil e seus indicadores são crescentemente positivos: o abate aumentou 12,6%, a produção 5,8% e a exportação 21,5%. Abateu 4,1 milhões de cabeças em sete plantas industriais localizadas em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, contabilizando um aumento de 12,6%. A produção in natura de carnes suínas cresceu 9,4%. A industrialização manteve-se estável (aumento de 2%) em curados, defumados, empanados, linha festa, fatiados, hambúrgueres, linguiças frescais e cozidas, mortadelas, presuntaria, refinados, salsichas e porcionados. Em novembro de 2014 a Coopercentral Aurora Alimentos tornou-se a primeira empresa brasileira a exportar carne suína para os Estados Unidos da América. Embarcou 50 toneladas de copa, costela, carré, costelinha e ponta de costela (cortes com osso). Também foi uma das primeiras a exportar para o Japão em 2014, além das operações comerciais com Rússia e China. <b>AVES</b> O segmento de frango de corte da Aurora manteve-se em nível ascendente, com 15% de incremento no abate, 11% na produção e 24,2% na exportação. Esse aumento no volume de frangos de corte abatidos se deu, principalmente, pelo atendimento da capacidade total do Frigorífico Aurora Xaxim e de Abelardo Luz, o que permitiu que, em seu conjunto, as sete unidades industriais avícolas, somassem um abate de 215,3 milhões de cabeças, superior 15% ao período anual anterior (2013). É expressivo esse movimento ascendente: em apenas seis anos, de 2009 a 2014, a Cooperativa Central duplicou o abate de aves. A produção in natura de carnes de aves aumentou 11,8% e a industrialização 5%. <b>LEITE & OUTROS</b> Na área de lácteos, a moderna planta da Aurora em Pinhalzinho recebeu 485 milhões de litros de leite fornecidos por onze cooperativas agropecuárias, 8,6% acima do ano anterior. Essa matéria-prima permitiu a industrialização de 190 mil toneladas (11% de aumento) em nove linhas industriais – bebidas lácteas, leite UHT, leite em pó, creme de leite, iogurte, queijo em barra e queijo fatiado, requeijão e soro em pó. O mix, formado por 65 itens produzidos com a marca Aurora, foi robustecido no ano passado com lançamentos, como a linha de iogurtes prebióticos, leites especiais, bebidas lácteas etc. Na nutrição animal, a produção manteve-se no mesmo patamar em 2014, fechando o ano com 5,5% de expansão na forma de rações, núcleos e concentrados. Os industrializados de massas cresceram 2,9% para 6.344 toneladas, incluindo lasanhas, pizzas, pão de queijo, sanduíches e prato pronto. <b>EFEITOS REGIONAIS</b> A base produtiva – considerado o conglomerado agroindustrial da Aurora e de suas 12 cooperativas agropecuárias filiadas – atinge 425 municípios de SC, RS, PR e MS. Essa produção requer o trabalho de 64.000 famílias rurais no campo e 31.000 trabalhadores nas indústrias e gera uma receita operacional bruta de 13,1 bilhões de reais. Essas comunidades são irrigadas com a riqueza anualmente gerada pelas cooperativas na forma de 2,7 bilhões de reais de valor adicionado da atividade agropecuária e mais 1,2 bilhão gerados pela atividade industrial; 860 milhões de reais de geração de ICMS e 674 milhões de reais em salários e encargos sobre a folha de pagamento. A Cooperativa Central Aurora Alimentos mantém 23.312 empregados diretos, sendo 13.061 homens e 10.251 mulheres. <b>INVESTIMENTOS</b> A cooperativa investiu 250 milhões de reais em 2014 na modernização das plantas industriais, visando o aumento da produção para atender as demandas do mercado. Um dos principais investimentos (86 milhões de reais) foi a reabertura do frigorífico Aurora de Joaçaba que teve sua capacidade de produção triplicada. Outras unidades que receberam investimentos foram Chapecó I (túnel contínuo e câmaras de equalização), Cunha Porã (armazéns de grãos), Guatambu (estações de tratamento de água e de esgoto) e São Gabriel do Oeste (linha de presuntos e apresuntados).

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here