CPT - Centro de Produções Técnicas

A alta nos custos de produção e a queda nos preços reduziram a margem de lucro dos produtores de leite neste início de ano. O Custo Operacional Efetivo (COE), que engloba as despesas rotineiras da atividade leiteira, e o Custo Operacional Total (COT), que contempla o COE, reposição de patrimônio mais o pró-labore, subiram 2,29% e 2,15%, respectivamente, os valores pagos ao pecuarista pela produção caíram, em média, 5,09%. Desta forma, o pecuarista perdeu, em média, R$ 0,078 centavos por litro de leite comercializado. Os dados são do boletim Ativos da Pecuária de Leite, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Entre os motivos da elevação dos custos, aponta o estudo, estão a seca no centro-sul do país, o aumento do salário mínimo e a subida dos preços dos insumos, como o sal mineral, os concentrados e os adubos. Segundo o boletim, a estiagem prolongada prejudicou várias áreas de forrageiras e silagem, o que aumentou a demanda por sal mineral e pelos concentrados. A seca também prejudicou a produção de milho, matéria-prima usada nas rações, provocando a aumento do preço do grão. Desta forma, houve alta de 4,58% na suplementação mineral e de 0,83% no preço dos concentrados. Juntos, estes dois itens representam 45% do COE. Já o salário mínimo dos trabalhadores subiu, em média, 8,26% neste início de ano, fazendo com que o item “mão de obra” tivesse valorização de 6,36%. Em relação aos adubos, estes foram os principais responsáveis pela elevação dos preços da silagem, forrageiras perenes e forrageiras anuais, em 2014, 3,95%, 4,54% e 5,66%, respectivamente. O boletim mostrou, ainda, que a queda do preço do leite foi influenciada pelo alto volume de produção. “Ainda que a demanda não tenha enfraquecido significativamente, foi o acréscimo expressivo da produção que acarretou na queda dos preços recebidos pelo produtor de leite no final de 2013 e início de 2014”, explica o boletim. Mesmo com a alta de 10,37% no Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-L), que mede o volume de leite adquirido pelos laticínios junto aos produtores, os preços recuaram por conta do aumento de oferta. “No final de 2013, as pastagens estavam em boas condições e muitos pecuaristas de leite investiram na atividade, influenciados pelo maior poder de compra naquele ano, cenário que resultou em significativo aumento da produção.”, justifica o boletim.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here