CPT - Centro de Produções Técnicas

O vilão dos preços altos, agora, é o leite longa vida. O produto subiu 12,49% entre março e abril, 11 vezes a mais que a inflação no mesmo período, que foi de 1,11%. O consumidor sentiu o aumento drástico no bolso, pois o valor do leite estava em queda desde o começo do ano. Apesar da alta ser normal no outono por um problema sazonal, desequilíbrios climáticos colocaram o preço nas alturas. <b>A dica é pesquisar</b> Segundo a Associação Gaúcha de Supermercados, o litro do produto está custando, em média, R$ 2,24. No ano passado, nesta mesma época, o preço médio era de R$ 2,08. Na quarta-feira desta semana, em um supermercado no Bairro Parque dos Maias, na Zona Norte, os preços do litro de leite variavam entre R$ 1,49 e R$ 3,49. – O valor por aqui subiu entre 10% e 15% nos últimos dias – afirmou o gerente do supermercado, Suel Calmo. Alguns consumidores mudaram a tática de compra do leite por causa do preço. A auxiliar de cozinha Elisângela Tramontina, 19 anos, costumava levar o produto em grandes quantidades mas, ultimamente, compra por unidade. – Já faz um mês que o leite subiu, tá muito caro, não dá mais para levar uma caixa fechada. Vou comprando aos pouquinhos – contou Elisângela. <b>Adolescente vai maneirar</b> Já a estratégia da auxiliar de cozinha desempregada Marlene Cardoso de Carvalho, 52 anos, foi diminuir o consumo. – Eu tenho um filho de 14 anos que toma leite todos os dias. Como o preço está pesando no orçamento, pedi pra ele maneirar na bebida – disse Marlene. O taxista Cláudio Flores Pavão, 41 anos e a mulher dele, a auxiliar de serviços gerais desempregada Ana Paula Martins, 37 anos, estavam pesquisando os preços de leite. Na casa deles, só os dois consomem o produto porque o filho Cauã, de seis anos, não gosta. – Se você pesquisar, sempre vai achar promoções e preços menores. Dependendo do valor é bom comprar em maior quantidade, para aproveitar o desconto – explicou Cláudio. <b>Alta superou em 11 vezes a inflação</b> Segundo uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, os primeiros três meses do ano apresentaram queda de 8,94% no preço do leite. Até o dia 15 de março, o litro continuava em baixa, mas com um índice menor, de 0,1%. Depois dessa data, o produto começou a subir. Um estudo feito de 22 de março a 22 de abril apontou uma alta de 12,49%, 11 vezes a mais que o valor da inflação do mesmo período, que foi de 1,11%. <b>A culpa é da chuva</b> O coordenador do escritório de Porto Alegre da Fundação Getúlio Vargas, Márcio Fernando Mendes da Silva, explica que dois fatores fizeram o preço do leite subir. O primeiro é a chegada do outono. Nessa época, as pastagens não são suficientes para alimentar o gado, o que ocasiona uma diminuição na produção do produto. O segundo motivo da alta foi gerado pelo excesso de chuvas em algumas áreas e a falta dela em outras. <b>Em julho, pode cair</b> A expectativa é de que o valor do litro de leite longa vida se estabilize no inverno, aproximadamente em julho. – Talvez, haja uma desaceleração, pois o valor subiu muito além do normal. Mas tudo dependerá do comportamento do clima – concluiu o coordenador.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here