CPT - Centro de Produções Técnicas

O preço do leite aumentou neste ano nas prateleiras dos supermercados e deve continuar em alta até junho. Em Chapecó o aumento ao consumidor foi em média de 15 a 20%. Mas uma rede de supermercados informou que normalmente há um acréscimo no preço nesta época, pois é um período de maior demanda e menor oferta.O excesso de chuva no Sul e estiagem no Brasil Central acabaram reduzindo a produção. A indústria informa que, além disso, há outros fatores que pressionam o preço para cima, como a alta do milho, alta do preço da energia e alta do combustível.Portanto não deve ocorrer queda até junho, quando aumenta a produção de leite e haverá maior oferta de milho com a safrinha do Centro Oeste. <b>Nova renião para trazer milho por ferrovia</b> Outra medida para tentar reduzir o custo de milho é viabilizar a vinda do cereal usando a estrutura antiga das ferrovias. Houve um encontro no início do mês e uma nova reunião com técnicos da Rumo ALL, que detém a concessão de várias linhas no país, inclusive no Sul, está prevista para o dia 4 de abril, às 16h, na Secretaria de Agricultura do Estado. De acordo com o secretário adjunto da Agricultura, Airton Spies, na reunião será tratado sobre a construção de uma estrutura de descarregamento de milho em Lages. Mesmo com a diferença na largura dos trilhos do Mato Grosso até Santa Catarina, é possível fazer o transporte. Os técnicos da Secretaria da Agricultura estimam uma redução de R$ 6 a R$ 8 por saca no custo do transporte, que fica em torno de R$ 20 trazendo 2,3 mil km por rodovia. Com o trem o milho iria rodar apenas 600 quilômetros por caminhão.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here