CPT - Centro de Produções Técnicas

O projeto emergencial de reabertura da antiga fábrica Camila, no Sertão alagoano, ganha força e apoio. Tradicional indústria de laticínios, a reabertura da Camila é considera pelos segmentos que compõem o setor a redenção para produtores e a economia da região. O assunto ganhou “corpo” quando o secretário de Estado da Agricultura, Pesca e Aquicultura, Álvaro Vasconcelos esteve em Batalha, logo quando assumiu o cargo, para visitar as instalações da indústria e anunciar sua determinação em reabrir a histórica fábrica. Na quarta-feira (21), o secretário Álvaro Vasconcelos, recebeu nessa quarta-feira (21) representantes da Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA), Serviço de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) que apresentaram o projeto de reabertura da fábrica Camila em caráter emergencial. Os representantes da Cadeia Produtiva do Leite explanaram sobre a situação delicada que enfrenta o setor, com a suspensão da compra da produção alagoana por parte das grandes indústrias do Nordeste. Para diminuir o impacto da recessão no setor, foi proposta a reabertura da unidade industrial da cooperativa em um prazo máximo de 60 dias. O governo do Estado de Alagoas, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social, já adquire, através do Programa Social do Leite, 80 mil litros de leite, mensalmente, que são distribuídos às famílias em risco social. O grupo propôs a ampliação da aquisição por parte do governo estadual em 40 mil litros de leite, beneficiando diretamente mais duas mil famílias no campo. O secretário de estado Álvaro Vasconcelos, reconheceu a importância da concretização da indústria para o desenvolvimento do setor no estado e mostrou preocupação com a crise que enfrenta o setor. “Os produtores de leite enfrentam uma situação delicada, e sabemos que o pequeno produtor é o que sofre mais. Nosso compromisso é apoiar as iniciativas que tragam desenvolvimento ao nosso estado e a reabertura da fábrica da Camila é um passo importante para a consolidação da cadeia produtiva do leite”, destacou o secretário. De acordo com o diretor presidente da CPLA, Aldemar Monteiro, quando estiver em pleno funcionamento a Usina de Beneficiamento de Leite da CPLA, vai atender dez mil agricultores familiares com a captação máxima de 300 mil litros leite dia. “Conhecemos diversas experiências no Brasil de laticínios e cooperativas que apostaram na diversificação da produção e são um sucesso. Temos capacidade de transformar o cenário da cadeia produtiva de Alagoas, porque temos produção e qualidade”, avaliou Monteiro. O grupo apresentou ainda o projeto de ampliação da usina de beneficiamento do leite, no qual contempla o aproveitamento do soro do leite, produto com bastante competitividade no mercado. O parque industrial da antiga Camila, localizado no município de Batalha, foi adquirido pela CPLA e já passa por reforma com apoio de emenda.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here