CPT - Centro de Produções Técnicas

Cerca de 200 agricultores manifestaram-se esta terça-feira, em Bruxelas, frente à sede do Parlamento Europeu contra o fim do regime que durante 30 anos impôs limites à produção de leite na União Europeia (UE). O protesto, organizado pelas associações Plataforma Europeia para o Leite (European Milk Board, EMB) e Grupo de interesse doas produtores de leite (IMG), decorreu no último dia em que vigoram as quotas de produção de leite. A plataforma EMB reivindica a aplicação do que chama um "programa de responsabilização face ao mercado", a ativar em caso de crise e que promova um comportamento adequado ao mercado por parte dos produtores do setor. Para a EMB, os produtores que reduzam as suas entregas em caso de excedentes devem ser premiados, enquanto os que, no caso de saturação do mercado continuem a produzir, devem assumir a responsabilidade e pagar uma penalização. "Hoje é o último dia da regulação no setor dos laticínios e a partir de amanhã [quarta-feira] são as multinacionais que passam a controlar a produção na Europa", disse aos jornalistas Erwin Schopges, porta-voz da EMB. Schopges contestou ainda o preço de intervenção fixado pela União Europeia, no valor de 0,21Euro, que consideram muito baixo. O regime de quotas leiteiras na Europa termina hoje, depois de trinta anos em vigor, colocando novos desafios ao setor e, no caso português, aos Açores, onde é produzido mais de 30% do leite nacional.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here